Primeiro Socorros para Pais :: Como Agir em Algumas Situações

Crianças pequenas em fase de crescimento são muito curiosas e costumam explorar bastante o ambiente a sua volta. O que é um passo muito importante para o seu desenvolvimento. No entanto, algumas situações de risco que podem originar sérios acidentes. O mais importante em todas as situações é investirmos na prevenção, mas eventualmente, em algum momento, pais e cuidadores poderão se deparar com alguma situação de urgência e emergência. Por isso, é fundamental estarmos preparados para estes momentos. Saber o que fazer e o que não fazer será determinante para o socorro da criança. E ter esse conhecimento ajuda a manter a calma em cenários estressantes como esses.

Primeiros passos

Primeiros socorros são intervenções que devem ser feitas de maneira rápida, logo após o acidente ou mal súbito, que visam evitar o agravamento da situação ou estado até que um serviço especializado de atendimento chegue ao local do acidente ou até que se chegue à um hospital. Mesmo com o conhecimento de manobras de emergência, sempre acione a ajuda de profissionais

A pessoa que não souber realizar procedimentos de primeiros socorros pode auxiliar buscando socorro. Lembre-se dos telefones úteis em caso de emergência:

SIATE: 193

SAMU: 192

POLÍCIA MILITAR: 190

Engasgo

O engasgo ocorre quando algum alimento ou objeto bloqueia as vias respiratórias, impedindo a realização da respiração. O socorro deve ser rápido para evitar a asfixia. No engasgo, enquanto a criança estiver tossindo, não se deve fazer nada. Nem em bebê, nem em adultos. A tosse é uma defesa do organismo para expelir o que está obstruindo as vias aéreas.

 

NÃO FAÇA:

  • Retirar o objeto: Não tente retirar o objeto da boca da criança às cegas. Isso pode empurrar o corpo estranho e obstruir por completo a via respiratória.

 

No caso do engasgo, quando a criança não consegue falar ou tossir, apresenta lábios arroxeados e leva as mãos ao pescoço, deve-se aplicar a manobra de Heimlich. As manobras são diferentes, de acordo com o tamanho da criança.

Bebês: o adulto deve sentar e apoiar o tronco do bebê no seu antebraço, com a barriga para baixo, com a cabeça mais baixa e bater com a base da mão cinco vezes nas costas. São batidas firmes, não fortes (1 e 2). São cinco golpes entre as duas asinhas (escápulas). Daí vira o bebê de barriga para cima no outro antebraço (que deve estar apoiado na coxa para o bebê não cair) e então faz 5 compressões entre os dois mamilos. As compressões devem ser feitas com dois dedos retos, comprimindo 5 vezes para provocar uma tosse artificial (3). Repetir as manobras até o bebê chorar. Só retirar o objeto se ele estiver visível e fácil de sair.

Imagem: https://www.imparcial.com.br/noticias/conheca-a-manobra-de-heimlich-para-desengasgo,44229

Crianças acima de um ano: é preciso ajoelhar atrás da criança, com ela em pé na sua frente e de costas para você. Fechar uma das mãos com o polegar escondido entre os outros dedos e apoiar no estômago da criança, acima do umbigo centralizada na barriga. Com a ajuda da outra mão, empurre no estômago fazendo o desenho da letra “J”, afunda e levanta com movimentos rápidos e fortes.

Crianças acima de um ano inconscientes: deitar a criança de barriga para cima e fazer compressão torácica, lembrando que no bebê a compressão é feita com apenas dois dedos. Em crianças maiores é com a mão aberta. As compressões são próximas ao final das costelas.

Queimaduras

A maioria das queimaduras infantis acontece na cozinha. Os tipos mais comuns são: queimadura por líquidos quentes e contato com fogo e objetos quentes. Quando isso ocorrer, o primeiro passo é resfriar a área queimada com água fria corrente por ao menos 20 minutos. Isso ajuda bastante a aliviar o desconforto da dor e no processo de cicatrização. Depois pode secar com cuidado a região da queimadura com um pano limpo ou gaze e leve para o hospital.

 

NÃO FAÇA:

  • Gelo: não passe gelo nas queimaduras.
  • Pomadas ou medicações caseiras.
  • Não fure as bolhas: deixe o médico avaliar

Queimadura química (olhos e pele)

Materiais químicos na pele devem ser lavados com água corrente, sem esfregar, até que todos os resíduos sejam retirados. Se algum produto cair nos olhos, tente manter as pálpebras da vítima abertas e jogue água corrente sobre o globo ocular afetado. Isto pode ser feito com chuveirinho ou sob uma torneira. Esta lavagem do globo ocular deve ser feita por 20 minutos, pois algumas substâncias, como a cal, são extremamente agressivas e demoram a ser removidas. Tome cuidado para que esta lavagem não atinja o olho não acometido.

Trauma por queda

Crianças pequenas caem com muita frequência. Principalmente quando estão aprendendo a andar. No entanto, como tem uma boa flexibilidade, raramente sofrem fraturas. Mas é sempre bom ficar atento.

Nas quedas, podem ou não bater a cabeça. Quando isso acontece, entenda quais atitudes tomar e quando devemos levar as crianças para uma avaliação médica.

Cabeça: apenas em casos brandos, colocar gelo no local. Observar a manifestação de sinais como sonolência, convulsão, febre, vômitos em jato, irritabilidade excessiva. Na presença de alguns destes sinais, procure um pronto atendimento imediatamente.

Tórax e abdome: levar ao pronto-socorro por possíveis lesões internas.

Membros: Depois do choro, veja se a criança está conseguindo andar e movimentar-se bem e se a criança sente dor à mobilização dos membros. Se houver desconforto, não movimente o local. Procure locais com inchaços. Se houver sinais de fratura, membro desalinhado, dor ou desconforto à movimentação, leve-a para o pronto-socorro.

Cuidados dentro e fora de casa

A prevenção é a melhor maneira de evitar algumas situações de emergência com crianças. Veja abaixo algumas situações que merecem atenção dentro e fora de casa:

 

  • Use telas de proteção e grades.
  • Piscinas devem estar sempre cobertas.
  • Manter frascos de remédios longe de crianças.
  • Não usar garrafas PET para colocar produtos de limpeza.
  • Manter objetos cortante e/ou perfurantes fora do alcance de crianças.
  • Proteja quinas de mesas e móveis.
  • Mantenha baldes com água fora do alcance de crianças.
  • Evite de dormir com bebês ou crianças pequenas na mesma cama.
  • Não deixe o carregador do celular na tomada quando não estiver em uso.
  • Não deixar fios de eletrônicos a vista das crianças.
  • Cubra as tomadas

Curso :: Primeiros Socorros para Pais

O curso Primeiros Socorros para Pais, do Multiplica PP, é voltado para a comunidade em geral, com o intuito de capacitar pais, cuidadores e familiares a reconhecerem e atuarem de forma rápida nas principais urgências e emergências que possam ocorrer no ambiente familiar da criança.

Mesmo com todos os cuidados, acidentes na infância são recorrentes. Ter algum conhecimento básico de primeiros socorros para poder garantir o mínimo de segurança quando alguma emergência acontecer e saber agir em diferentes situações, ajuda a salvar vidas

Texto aprovado pelo coordenador do curso Primeiros Socorros para Pais – dr. Eduardo Gubert

Referências bibliográficas:

https://www.papodemae.com.br/noticias/dicas-de-primeiros-socorros-para-salvar-vidas-de-bebes-e-criancas.html

https://coracaoevida.com.br/primeiros-socorros-em-criancas-veja-como-agir-em-engasgos-e-queimaduras/

https://paisefilhos.uol.com.br/crianca/primeiros-socorros-em-bebes-e-criancas-conheca-as-tecnicas-que-podem-salvar-a-vida-do-seu-filho/

https://cb.es.gov.br/Media/CBMES/PDF’s/M%C3%A3e%20Prevenida/Manual-mae-prevenida-2022.pdf

https://ftp.medicina.ufmg.br/observaped/cartilhas/cartilha_Primeiros_Socorros_12_03_13.pdf

Guia de Primeiros Socorros para Crianças

Artigos relacionados

Você também pode estar interessado em

Enviar
Olá 👋
Podemos te ajudar?
Este canal é exclusivo para atendimento ao Multiplica PP, programa de educação continuada do Hospital Pequeno Príncipe.
Para consultas, favor entrar em contato com a Central de Agendamento do Hospital:  (41) 3514-4141.